EMUFRN realiza encontro de música e inclusão

https://ufrn.br/imprensa/eventos/57713/emufrn-realiza-encontro-de-musica-e-inclusao

A música é capaz de estimular o desenvolvimento social e cultural das pessoas e pode ser uma ferramenta de auxílio no desenvolvimento psicológico e motor para a educação inclusiva. Com o intuito de discutir e ampliar as discussões na área, a Escola de Música da UFRN (EMUFRN) está com submissões abertas de trabalhos para o 9º Encontro sobre Música e Inclusão (EMI). O prazo vai até o dia 29 de maio. Neste ano, o evento adotou como tema Conectando conhecimento e boas práticas em Inclusão e Acessibilidade.

O EMI é um espaço para colocar as questões frente às particularidades das áreas da Educação Musical, é o que afirma David Barbalho, servidor administrativo e coordenador adjunto do evento. “Sabemos da necessidade de ampliar e fortalecer as discussões acerca da inclusão e acessibilidade para as pessoas com deficiência e necessidades específicas, bem como aprimorar as práticas, ações e recursos voltados a esse público, de modo a garantir condições plenas para o desenvolvimento de suas atividades e também no processo de ensino-aprendizagem”, explica.

Serão seis sessões temáticas para discutir o tema geral do evento: Inclusão das pessoas com deficiência: marcos regulatórios e políticas públicas direcionadas ao campo da educação musical; Práticas, recursos e tecnologias na Educação Inclusiva; Inclusão em contextos de ensino de música; Pessoas com deficiência, diversidade e interseccionalidadeInclusão e Acessibilidade nos contextos não presenciais de Ensino; Demandas e desafios para uma educação musical inclusiva.

A submissão de trabalhos para o evento, que será realizado virtualmente entre os dias 26 e 29 de julho deste ano, pode ser realizada pela Plataforma dos Anais do Encontro sobre Música e Inclusão. Serão aceitos trabalhos nas modalidades Comunicação oral, Pôster científico e Relato de experiência. Os aprovados, além de apresentados no EMI, serão publicados nos Anais do Encontro sobre Música e Inclusão. Os dez trabalhos na modalidade Comunicação Oral que receberem maior pontuação na avaliação por pares serão compilados e publicados como capítulos de um livro digital com um Padrão Internacional de Numeração de Livro (ISBN), organizado pela EMUFRN/SEMBRAIN/BPJD, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2023. Para saber mais, acesse o edital.

SEMBRAIN abrirá inscrições para projetos de músicas para pessoas com deficiência e outras necessidades educacionais específicas

O Setor de Musicografia Braille e Apoio à Inclusão (Sembrain) da Escola de Música da UFRN abrirá as inscrições para diversos projetos de música, em todos os níveis, voltados para pessoas com deficiência e outras necessidades educacionais específicas. Os projetos serão gratuitos e as inscrições estarão disponíveis entre o período de 14/03/22 a 18/03/22. Para mais informações, entre em contato por meio do e-mail: sembrain.inscricoes@gmail.com ou pelo telefone/WhatsApp: (84) 99193-6433.

Sobre os projetos disponíveis:

  • Para pessoas com Deficiência Visual

Vivências Musicais; Teoria Musical, Musicografia Braille e Flauta Doce; Coral Vivendo o Canto; e Orquestra Inclusiva de Violões.

  • Para pessoas com Autismo

Som Azul

  • Para pessoas com Síndrome de Down

Musicalização Up.

EMUFRN realiza VIII Encontro sobre Música e Inclusão

Ana Lourdes Bal de Agecom/UFRN

A Escola de Música da UFRN (EMUFRN), por meio do Setor de Musicografia Braille e Apoio à Inclusão (Sembrain), realizará o VIII Encontro sobre Música e Inclusão (EMI) entre os dias 12 e 15 de outubro, de forma virtual. O tema geral desta edição é Como anda a inclusão? Pessoas com necessidades educacionais específicas nos contextos não presenciais de Ensino. As inscrições para participar estão abertas e podem ser realizadas por meio deste site.

O evento tem como objetivo refletir as conquistas, os novos desafios da formulação e implementação de ações político-econômicas inclusivas da transversalidade da inclusão nas iniciativas na Música, junto à comunidade educativa e estudantil. A programação do VIII EMI envolve a realização de palestras, mesas-redondas, rodas de conversa, apresentação de trabalhos acadêmicos, oficinas e apresentações musicais. As transmissões das atividades serão realizadas via YouTube e Google Meet

“Hoje podemos dizer que o EMI é um dos principais eventos acadêmicos voltados às discussões acadêmicas sobre Educação Especial e Inclusiva na Educação Musical no país. É um espaço que vem se consolidando no compartilhamento de pesquisas, experiências, práticas e recursos voltados à inclusão das pessoas com deficiência e necessidades educacionais específicas na educação e performances musicais”, afirma David Barbalho, servidor da Biblioteca da Escola de Música e coordenador da ação. Para ele, a área vem ganhando cada vez mais fôlego e robustez, trazendo o aprimoramento e a garantia de processos mais qualificados de educação musical junto ao público. 

Atualmente afastada para o doutorado, a professora Catarina Shin está colaborando com David para a realização do evento. Ela coordenou o evento nos anos anteriores. “Diante da realidade que estamos vivendo, passou-se um ano e meio de pandemia que deu visibilidade a outras formas de exclusão vivenciadas pelas pessoas com deficiência e outras necessidades específicas que nos provocaram a pensar e agir para a solução dos novos desafios. Questionar a realidade é condição necessária, para que, a partir dela possamos traçar metas, buscar caminhos para a construção do ideal de sociedade que queremos, uma sociedade do respeito às diferenças, onde todos podem e devem desenvolver todo o seu potencial desde que caminhemos todos juntos”, afirmou a professora.

“Nesse ano, especificamente, o Evento traz para o centro das discussões os desafios e potencialidades da acessibilidade e inclusão nos formatos não presenciais de Ensino e Educação Musical. Trata-se de uma questão relevante, frente à necessidade de garantirmos que esses formatos sejam, de fato, inclusivos”, complementa David.

Saiba mais sobre o evento no site ou Instagram do EMI.